8 de fev de 2011

DR. FERNANDO CATAPANO PRINCE XAVIER RECEBEU DE PRESENTE UM DOBLO ZERO KM. O DIREITO DE RESPOSTA ESTÁ AS ORDENS.

O JUIZ DR. FERNANDO CATAPANO PRINCE XAVIER PARA FACILITAR AÇÕES RECEBEU DE  PRESENTE UM FIAT DOBLO ZERO KM  COMPRADA NA CONSESSIONÁRIA DIAUTO DE SÃO LOURENÇO ONDE TEMOS EM NOSSAS MÃOS COMPROVANTES DE PAGAMENTO DO VEÍCULO E O DEVIDO EMPLACAMENTO E NOTA FISCAL EM NOME DO JUIZ CORRUPTO, CÓPIAS FORAM ENVIADAS AO CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA ONDE CORRE PROCESSO EM SIGILO DE JUSTIÇA  POR ESSE E INÚMEROS OUTROS ATOS ILEGAIS. DESAFIAMOS O JUIZ A PROVAR EM CONTRÁRIO. O REFERIDO VEÍCULO FOI DADO AO MAGISTRATO CORRUPTO PARA VENDER SENTENÇA, O DIREITO DE RESPOSTA ESTÁ AS ORDENS....
O PROCESSO QUE ELE FACILITOU FOI  NÚMERO TJMG: 033005000034-9

JUIZ AGE OFENDENDO O TRIBUNAL DE JUSTIÇA, OS BONS JUÍZES DE MINAS GERAIS E TODA A POPULAÇÃO.

O QUE SE ESPERAR DO EX JUIZ DA COMARCA DE ITAMONTE DR. FERNANDO CATAPANO PRINCE XAVIER UM JUIZ DE DIREITO QUE ANDAVA NUM CARRO COM DÉBITO SUPERIOR A QUARENTA MIL REAIS DE MULTAS E IMPOSTOS DENUNCIADOS PELO AUTOR DESSE BLOG E DEVIDAMENTE APRENDIDO, SUA ESPOSA DONA ANA BEATRIZ BOTELHO FAZIA USO DE OUTRO VEICULO COM MAIS DE VINTE MIL REAIS DE MULTAS E IMPOSTOS ATRASADOS POR MUITOS ANOS, CARRO TAMBÉM APREENDIDO. SÓ PODERIA DAR EM CORRUPÇÃO NO QUAL O JUIZ FOI DEVIDAMENTE INDICIADO EM PROCESSO NO TJMG. FERNANDINHO BEIRA MAR PERDE...ACIMA O OMEGA DO JUIZ TENDO O CORRUPTO AO FUNDO E O CARRO DE SUA ESPOSA, QUE FOI 'DOADO' A PREFEITURA MUNICIPAL DE ITAMONTE EM OUTRO ATO ILEGAL, HOJE APREENDIDO PELA JUSTIÇA. A ATITUDE DE UM MAL JUIZ, OFENDENDO O TRIBUNAL DE JUSTIÇA E OS BONS JUÍZES DE MINAS GERAIS E TODA A POPULAÇÃO.

Fato inédito no RS: juiz é demitido por conduta imprópria

O juiz Marcelo Colombelli Mezzomo, da Comarca de Três Passos, no Rio Grande do Sul, foi demitido nesta segunda-feira por fazer "elogios impróprios" a uma mulher. A decisão foi tomada com unanimidade pelo Órgão Especial do Tribunal de Justiça do Estado.
Colombelli estava afastado desde julho do ano passado, quando foi denunciado à Delegacia de Polícia de Três Passos. O magistrado teria feito “comentários e elogios impróprios” à nora da dona de uma sorveteria, com “comportamento visivelmente alterado”, segundo nota oficial divulgada pelo TJ-RS. A proprietária chegou a chamar seu marido para pedir que o juiz deixasse o local.
O magistrado negou os fatos, afirmando ter dito apenas que a moça era muito bonita.
O juiz já havia sofrido pena de censura em processo administrativo por envolvimento em acidente de trânsito e respondia a outros processos por conduta inconveniente.

Band Notícias.  Redação: Martina Cavalcanti