15 de nov de 2011

Saiu no Piteco: “Grupo” político de cidade do Sul de Minas (conhecido por usar a cor rosa e radicalmente ciumento) em 23 anos de vida pública nunca conseguiu uma verba sequer para sua cidade, segundo más línguas a única obra seria a construção da "Casa da Dinda”! O povo que se lasque!

A INVEJA.

A CASA DA DINDA!

A propriedade de 13 mil m² foi alvo do paisagista José Roberto Nehring, dono da Brasil's Garden, que plantou ao redor da mansão 200 árvores de grande porte e outras 40 frutíferas. Mas sem dúvida o maior destaque ficou por conta das portentosas e polêmicas cachoeiras motorizadas, inseridas em meio a lagos artificiais.
Embora o ex-presidente tenha negado em entrevista à Rede Record, caiu em domínio público que um lago do jardim recebia água filtrada e oxigenada do Lago Paranoá, antes de chegar às carpas japonesas.
Collor teria dito: "Nunca tive carpas aqui, gostaria de ter tido". No que o repórter rebateu: "Nem lambaris?" Rindo, o ex-presidente concluiu: "Nem lambaris".
Também caiu em domínio público que a reforma dos jardins da Dinda teriam custado US$ 2.5 milhões, pagos pelo esquema PC Farias.
Através de fotos feitas pela Revista Veja em sua edição de 09/09/1992, na matéria As Floridas Cachoeiras da Corrupção, o povo brasileiro ficou sabendo do suntuoso jardim de marajá que Fernando Collor havia construído para si mesmo. Surgiram até termos como "babilônicos" jardins e coisas do tipo.
Foi considerado um dos pontos altos do escândalo que tirou o presidente do poder.

VERBAS! ATÉ AGORA? SÓ A ORIGEM DO PAU MANDADO E O LEGUME DA DIETA DO CHEFE!
ALGUM BENEFÍCIO EM 23 ANOS PARA O POVO?

ESPECIALIDADEMUSICAL DO GRUPO?

OBS: Notícia publicada em http://pitecopeteca.blogspot.com/

14 de nov de 2011

Advogado!


Advogado conhecido no Sul de Minas por suas falcatruas e que atua no ramo de postos de gasolina juntamente com firma de distribuição de combustível e solventes estão sendo investigados por supostamente fornecer solventes para refino de cocaína a narcotraficantes até do exterior e o grupo teria contas bancárias em paraísos fiscais. As investigações envolvem um juiz de direito que teria vendido sentenças a organização criminosa.
O  advogado e o restante da quadrilha segundo nossa fonte, estariam indiciado na Polícia Federal por lavagem de dinheiro.
 Infelizmente nossa fonte não pode  revelar todos os detalhes, mas aos poucos vamos conseguir isso, inclusive com documentos.